Matemática e Vida


Conhecendo o Passado

Título: A viagem de Darwin pela Matemática

Responsável: Fábio Chalub

Resumo: A teoria da Evolução, originalmente proposta pelo naturalista inglês Charles Darwin, não foi inicialmente formulada em termos matemáticos. No entanto, ideias muito importantes em matemática estavam todas lá! Nesta palestra, mostraremos como durante o século XX a compreensão da evolução biológica passou de um modelo verbal para um modelo rigoroso.


Sabendo Mais

Título: Matemática e Vida: A propagação de doenças infecciosas 

Responsáveis: Paulo Doutor e Isabel Natário

Resumo: O contexto pandémico em que temos vivido tem permitido à comunidade aperceber-se de como a matemática e estatística são importantes para conseguir caracterizar a dinâmica dos surtos e a investigar a eficiência de diferentes estratégias de ação, através do uso de modelos epidemiológicos matemáticos e estatísticos desenvolvidos para estudar a propagação de doenças infecciosas.

Neste curso aprendemos o essencial para fazer a modelação, exemplificando na prática os conceitos envolvidos. Inicia-se a aprendizagem definindo os elementos básicos envolvidos na modelação de epidemias: população homogénea, suscetível, infectado, período de latência, infeccioso, período de contágio, período de incubação, removido (por morte, por imunização).

Consideramos modelos matemáticos determinísticos para a propagação de uma doença na população ao longo do tempo. Apresentamos modelos considerando o tempo como sendo discreto (instantes de tempo), que podem ser estudados como sucessões definidas por recorrência, e modelos considerando o tempo como sendo contínuo (intervalo de tempo), que assentam em equações diferenciais.

Finalmente, apresentamos modelos estocásticos, que servem de base a modelações mais complexas e que permitem incluir os efeitos do acaso, tornando-os mais adequados a diversas situações onde os modelos determinísticos falham em dar respostas satisfatórias. Abordamos os parâmetros mais relevantes dos modelos estocásticos e a sua estimação e como estes modelos podem ser usados para fazer previsão.


O Saber em Acção

Título: Matemática no estudo e preservação da biodiversidade

Responsável: Diogo Alagador (Universidade de Évora)

Resumo: Vivemos numa crise ecológica onde muitas espécies e ecossistemas se revelam disfuncionais e em perigo de colapso. A Biologia da Conservação é uma área multidisciplinar recente que tem por objetivo produzir conhecimentos e desenvolver procedimentos que potenciem a persistência da diversidade biológica. A identificação de áreas prioritárias para a conservação da biodiversidade é um tópico importante em Biologia da Conservação.

O estudo deste assunto pressupõe conhecimentos sobre as relações entre espécies e ecossistemas e o ambiente, sobre as suas distribuições no espaço geográfico e como respondem à dinâmica ambiental (e.g., alterações climáticas). Estas são questões que a Biogeografia procura responder e que a Biologia da Conservação integra para intervir eficientemente.

De que forma a Matemática pode contribuir na investigação destas matérias? É a questão que vamos discutir.